sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

.all I know.


Sabe de uma coisa? Por mais que possa parecer, eu não tenho um coração de gelo e, muito menos, um peitoral de aço pra conseguir suportar cada coisa que me acontece e, ainda assim, permanecer intacta, sem me abalar com nada.
Eu sei que muita gente que mal me conhece, quando passa por mim, já pensa "lá vai a durona". Pois bem, não. Eu não sou tão difícil assim e meu coração, por mais que pareça ser de gelo na maioria das vezes, se derrete com tanta coisa boba que você nem imagina.
Assim como muitas pessoas desse mundão afora, eu também fico triste quando me deparo com tanta maldade nas pessoas, eu também me sinto impotente quando não consigo ajudar os outros a mudar para melhor. Eu, apesar da fama, não sou durona como uma porta. Não mesmo.
Eu tenho dor de ouvido. Eu tenho tpm. Eu brigo com todo mundo e me magoo com isso. Eu também tenho meus quebra paus com o namorado. Eu também me desaponto com um monte de gente e, principalmente, comigo mesma. Mas, se você precisar de mim um dia, independente de quem você seja, pode contar.
Tudo bem que muitas coisas na vida, mesmo sendo tão nova, me fizeram assumir uma postura que talvez eu não tivesse que ter; mas, por mais que você tenha qualquer imagem de mim, assim como você eu também grito, eu também amo... eu também choro.
Para ser bem sincera com você, eu bem que queria por um momento ter esse peito de aço inabalável que eu tanto demonstro. Mas será que valeria a pena? Será que eu saberia o que é viver se fosse assim? Será que eu teria aprendido tudo o que eu sei hoje? Provavelmente não.
Ou quem sabe se eu realmente me tornasse essa fortaleza toda as pessoas não me machucariam tanto; e eu também não choraria tanto, mesmo que por dentro. Mesmo que sozinha.
Eu tenho tantas cicatrizes que você não faz idéia! Cicatrizes mesmo, daquelas de machucado, de menina encapetada, de criança que arrancava a casquinha. Quando eu tinha 12 anos machuquei feio o joelho e fui aprender o que era fisioterapia. Hoje, 10 anos depois, ando machucando o coração mais do que qualquer outra pessoa no mundo.
Meu joelho ainda dói muito, principalmente nessa época de frio. Mas dor física é coisa que a gente ainda suporta. Agora, vou te falar uma coisa, dor no coração não existe fisioterapia nenhuma que cure!

Definitivamente, eu não sou durona.

3 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog. Adoro seu jeito simples de escrever e tranformar as coisas da vida em palavras da alma! Continue escrevendo porque haverá sempre alguém acompanhando. "Agora, vou te falar uma coisa, dor no coração não existe fisioterapia nenhuma que cure!".

Jacqueline Soares disse...

~'. Antigamente, eu parecia que durona.
Daquelas que não gostava de ninguém, que não levava ninguém a sério.
Mas, não sei se realmente existem pessoas assim.
Pessoas que em nenhum momento sinta dó, dor, arrependimento, consciência.
Hoje, nem parecer eu consigo mais.
Sou mesmo uma manteiga derretida, que muitas vezes não fala tudo que está preso na garganta, porque sabe que vai chorar logo em seguida.
Muitas vezes encobrimos quem realmente somos, ou muitas vezes as pessoas enxergam o que não existe.
Basta olhar com atenção, pra perceber quem realmente mora dentro de cada um.
Atenção!

Beeijos

C. disse...

Bem no recôndito da alma todo mundo é assim, creio eu. Apenas acho que uns adotam posturas diferentes dos outros, dando essa impressão de "durao", o que nem sempre é sinônimo de insensibilidade, orgulho.
"A beleza está nos olhos de quem vê".