sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Ok,Pedro.


Não adianta querer vir se desculpar pelo que você aprontou ontem. Logo eu que sempre gostei tanto de você, que sempre me senti lisonjeada por você escutar todos os meus pedidos; logo eu, logo comigo, Pedro. Porque?
Eu sei que nessas últimas semanas reclamei muito de você, devo até ter te tratado mal algumas vezes, mas nada disso justifica o seu erro. Na verdade, hoje tô achando que até fiz pouco em ter te xingado um monte essa semana por você ter atrapalhado a minha vida toda. Por sua culpa eu cheguei atrasada no trabalho, por sua culpa aquele ônibus não anda, por sua culpa meu chefe tá começando a me estranhar. Você acha isso pouco?
Não é possível que você não preste atenção na hora em que eu saio do trabalho, ou na hora em que eu vou almoçar, ou, ainda, na hora em que eu saio da faculdade. Pedro, eu não fico batendo perna à toa na rua todos os dias pra você fazer de mim o que bem entender não,viu?
Definitivamente cansei de você. Não espere mais de minha parte nenhum tipo de elogio, nem nenhum pedido de manifestação sua, nem nada. Ontem foi o último dia em que eu deixei você fazer de mim o que bem entendesse. A partir de hoje nossas relações estão cortadas ou, falando na sua língua, minha admiração por você foi por água abaixo no meio daquela chuva toda que você aprontou.
Guarda chuva eu tenho,Pedro. O que anda me faltando é paciência com você. Eu saí da faculdade, do outro lado da cidade, às 10 d anoite, morta de cansada e ainda tive que aguentar aquele aguaceiro seu. Alguma vez você já ficou numa parada às 10 da noite praticamente tomando um banho a cada carro que passava, Pedro? Alguma vez você já entrou num ônibus todo molhado e teve a sensação de que as pessoas te olhavam como se você tivesse acabado de sair de uma guerra? Acho que não.
Daqui a pouco eu tenho aula e, provavelmente por saber disso, lá vem você querendo dar o ar da graça. Eu não preciso mais de você. Aliás, eu acho que você deveria era vir aqui torcer a minha calça que ainda tá encharcada até agora.
Olha, Pedro, ontem foram as últimas gotas. Fique sabendo que daqui uns dias meu carro chega e eu vou fazer questão de esfregar nessa sua cara lavada que eu não preciso ser mais uma vítima dos seus xiliques chuvosos. E, se eu alcançar, termino de quebrar meu guarda chuva em você.
Passar bem.



9 comentários:

Rejan disse...

um lindo post, Parabens :B

Caá disse...

lindo post, mas nao tem como não pensar.
pedro, devolve meu chiiiiiiiip!! UIAHIUDHSIUHDS

boa semana, beeeeesos

Jéssica Nascimento. :) disse...

Ri do comentário da Cáá ;x Realmente não tem como não pensar cadê o chip, kkkkk. Você que fez o post,adorei DEMAIS,ja passei por essa situação e adorei ainda mais o final falando que ia esfregar na cara dele o carro,vingança de vez em quando sempre é muito bom,adorei seu blog e estou te seguindo. beeeijos

Daih Pink disse...

oh linda, post magnifico...
concordo com as meninas...kkkk
mais extravasa mesmo!
Boa semana linda...

Lua disse...

hahaha, muito bom!

.Intense. disse...

Engraçado, eu tava esperando que a qualquer momento fosse ler 'eu só qro meu chip de volta, Pedro', hahahahah...virei escrava da piada.

E, ó, adoreeeeei o post daqui de baixo. Achei que nunca ia conseguir, ou ver alguém conseguir, explicar como eu me sinto com esses passageiros-permanentes do dia a dia.

;)

K.B disse...

Não vim apenas retribuir a visita, mas também dizer que amei seu blog.
E o post também. Pobre Pedro rs
Nessa situação, também me vingaria!

Ótima semana, beijos.

SimpleS disse...

kkkk' eu te ajudo a quebrar o guarda chuva na cabeça desse Pedro... rs
Lindo blog, linda Você...rs
bjo
parabéns!

Rhaíssa disse...

Não sei se foi a intenção, mas além de tudo, achei o post muito divertido.
Mas hein, vingança é um prato que se come frio... E quanto mais lenta, mais prazerosa é. O "Pedro" que te aguarde. HAUSHAUHSAUASHUH

www.conteudosuspenso.blogspot.com

;)